Uma volta pelo Museu da Cultura Italiana e Mirante em Nova Trento!

Dona de um Museu da Cultura Italiana totalmente dedicado à imigração e de um mais belíssimos mirante, Nova Trento revela toda sua beleza cultural.

Depois que visitamos a pracinha do centro, a La Torre do Vinho Vô Luiz, o Museu Colonial e o Santuário, veja todo o relato aqui. Logo no começo da  Rua da Madre Paulina, paramos em outra casa de produtos coloniais: Adega e Queijaria Bastiani.

Adega e Queijaria Bastiani

Por fora o local é um amor. Bem carinha de Itália, tijolinhos a vista, com a decoração em verde, branco e vermelho. Ainda há espalhado pelo restaurante algumas estátuas que nos remetem aos imigrantes.

Lá eles vendem diversos tipos de macarrões — levamos um por R$ 2,90, que só resta experimentar agora 😀 — queijos, bolachas, geleias, vinhos, licores, suco de uva e por aí vai. Além de servirem café colonial. Saímos carregando duas sacolinhas. Compramos dois tipos de massas de macarrão, três tipos de queijos muitooo saborosos (queijo colonial, queijo parmesão leve e gouda), junto com um pacotão de salgadinho de milho.

Entrada Adega e Queijaria Bastiani

Entrada Adega e Queijaria Bastiani

Entrada Adega e Queijaria Bastiani

Entrada Adega e Queijaria Bastiani

Entrada Adega e Queijaria Bastiani

Entrada Adega e Queijaria Bastiani

Entrada Adega e Queijaria Bastiani

Entrada Adega e Queijaria Bastiani

Adega e Queijaria Bastiani

Adega e Queijaria Bastiani

Adega e Queijaria Bastiani

Adega e Queijaria Bastiani

Hora do Almoço

Depois, já às 14 hrs da tarde, o estômago roncou e fomos em busca de um local para comer. Tínhamos visto na internet um lugar, que pelas diversas placas espalhadas por Nova Trento, parecia o mais famoso, a Pousada e Cantina Italiana.

Após o GPS nos enganar umas duas vezes — sempre ficamos de atualizar o bichinho — e conseguirmos dar voltas desnecessárias várias vezes nas ruas principais, localizamos o restaurante. Ele está na Rua dos Imigrantes, 864, Centro, Nova Trento.

Fica ao fundo do terreno, cercado pelos quartinhos da pousada e estava bem movimentado. Para entrar no restaurante passamos por um estreito corredor de pedra que levava a um amplo lugar, com um pé direito alto e bicicletas antigas (bem lindas) penduradas em cima. O cheiro estava bom. Mas aí a facada entrou no peito: 35 reais por pessoa. Desistimos.

Parecia ótima a comida, mas já tínhamos ostentado nosso dinheirinho nos queijos, massas e salames e depois queríamos saborear um café colonial. Então, infelizmente, a Cantina Italiana ficará para uma próxima.

Museu da Cultura Italiana

Entramos no carro, detonamos aquele salgadinho de milho (muito bom!) e fomos ao Museu da Cultura Italiana, situado na Estrada Geral do Morro da Cruz. É um local mais rústico, cercado por mata, onde também funciona um Mercado das Pulgas.

Quando entramos na casinha que se inicia o museu, já vimos diversos produtos que podem ser comercializados ou trocados por outros. Era bem legal, tinha vários discos de vinil, alguns rádios, máquinas antigas de escrever, televisores antigos. Imagino que o tiozinho do museu iria fazer a festa nas antiguidades da feirinha do Lago da Ordem de Curitiba.

Entrada Museu da Cultura Italiana

Entrada Museu da Cultura Italiana

Museu da Cultura Italiana e Mercado das Pulgas

Museu da Cultura Italiana e Mercado das Pulgas

Museu da Cultura Italiana e Mercado das Pulgas

Museu da Cultura Italiana e Mercado das Pulgas

Museu da Cultura Italiana e Mercado das Pulgas

Museu da Cultura Italiana e Mercado das Pulgas

Compramos a entrada (que custa 15 reais a inteira e 7 reais a meia), e apareceu um senhor para ser o guia do passeio, que se leva através de uma trilha.

Ele se destoa de um museu tradicional, que é normalmente fechado e cheio de obras, na verdade, o Museu da Cultura Italiana de Nova Trento mais pareceu uma viagem pelo tempo.

Vimos diversos itens utilizados pelos imigrantes italianos. Para a lavoura da terra, produção de tábuas e produção de ferramentas. Seguindo pelo caminho, o guia nos levou a uma sala dos rádios. Lá, o rádio mais antigo é da década de 10!

Casa Antiga e Sala de Objetos Antigos

Depois, entramos em uma casa que seria a réplica das casas dos imigrantes (estilo a moradia que tem no Museu Colonial). Lá o guia nos mostrou os colchões de palha de milho, que ele mesmo dormiu até os 17 anos! A maneira como era a cozinha, fogão, banheiro e os demais aposentos. Lembrando que era muito comum toda casa ter um sótão.

Ao final, descemos até o engenho da farinha de mandioca. Havia uma roda gigante que transformava a água em energia. Infelizmente não podemos vê-la funcionando, pois tinha estragado há poucos dias.

Dali seguimos para uma sala grande, onde vimos DIVERSAS peças antigas! Moedas, nota de dinheiro, utensílios domésticos, armas, livros de estudos, discos de vinil, máquinas de escrever, máquinas, televisores e por aí vai. Encerrando, assim, a nossa visita.

Louças Museu da Cultura Italiana

Louças Museu da Cultura Italiana

Casa Museu da Cultura Italiana

Casa Museu da Cultura Italiana

Ferramentas Museu da Cultura Italiana

Ferramentas Museu da Cultura Italiana

Ferramentas Museu da Cultura Italiana

Ferramentas Museu da Cultura Italiana

Ferramentas Museu da Cultura Italiana

Ferramentas Museu da Cultura Italiana

Sala de Antiguidades Museu da Cultura Italiana

Sala de Antiguidades Museu da Cultura Italiana

Sala de Antiguidades Museu da Cultura Italiana

Sala de Antiguidades Museu da Cultura Italiana

Televisores e Máquinas de Escrever Museu da Cultura Italiana

Televisores e Máquinas de Escrever Museu da Cultura Italiana

Santuário Nossa Senhora do Bom Socorro

Então, voltamos para o nosso carinho e começamos a subir a Estrada Geral do Morro da Cruz até o mirante. Nosso último ponto de passeio. Onde está o Santuário Nossa Senhora do Bom Socorro, à 525 metros de altitude.

E olha… põe subir nisso, acho que subimos uns 3 quilômetros, mas a estrada estava bem conservada. Durante o caminho, vimos diversas capelinhas e uma pedra que jorra água, chamada Fonte Moizes.

Depois de muita gasolina, chegamos no topo. Após de mais uma subidinha de escadas (eu ia dizendo pra minha mente “quase lá, quase lá”), conhecemos uma das vistas mais incríveis que eu já vi. É realmente muito lindo lá de cima!

Foi impressionante!

Mirante Santuário Nossa Senhora do Bom Socorro

Mirante Santuário Nossa Senhora do Bom Socorro

Mirante Santuário Nossa Senhora do Bom Socorro

Mirante Santuário Nossa Senhora do Bom Socorro

Vista Santuário Nossa Senhora do Bom Socorro

Vista Santuário Nossa Senhora do Bom Socorro

Vista Santuário Nossa Senhora do Bom Socorro

Vista Santuário Nossa Senhora do Bom Socorro

Fonte Moizes

Fonte Moizes

Café Colonial em Nova Trento

Já eram 16h30min da tarde e a fome apertou, embarcamos no carro rumo ao Café Colonial!

Pela rota que escolhemos de volta, acabamos indo novamente Adega e Queijaria Bastiani. Por R$ 23,90 por pessoa, comemos muito!!! Não é que tinha super uma variedade, mas a sopa de capeletti, o cachorro quente, a lasanha de queijo e brócolis, os vários queijinhos e salames e os bolinhos, acompanhados de café com leite, estavam realmente muito bons!

De pança cheia, com comprinhas no carro, seguimos para a nossa cidade, mas com a vontade de em breve voltar para Nova Trento!

 

Essa foi a segunda parte da nossa aventura em Nova Trento. Aqui a primeira da leitura! Também não deixe de comentar caso tenha ficado alguma dúvida ou se você já visitou essa linda cidade. E compartilhar o post =)

Dúvidas?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *