Visitando o Parque Municipal das Grutas de Botuverá, a maior do Sul do Brasil!

Uma pequena cidade que guarda a maior e mais ornamentada cavidade rochosa do Sul, as Grutas de Botuverá! Visita de tirar o fôlego e com muitas sensações!

A cidade de Botuverá possui umas das atrações mais peculiares de toda Santa Catarina: as chamadas Grutas de Botuverá. Também popularmente conhecidas como as Cavernas de Botuverá.

Durante a visita, o guia explicou que, na verdade, o nome correto da cavidade rochosa de Botuverá é gruta, já que possui 1.200 metros de comprimento. Enquanto a denominação caverna é para uma cavidade natural que não ultrapasse 50 metros de extensão.

Botuverá é um pequeno município que está a 130 km de Florianópolis e tem em torno de 5 mil habitantes. Até os dias de hoje a cidade mantém raízes fortíssimas da sua colonização feita por imigrantes vindos do Norte da Itália. Tanto que 90% das conversas entre os habitantes de Botuverá são no idioma italiano, que se subdivide em três dialetos: Tiroles, Mantoano e Bergamasco.

Grutas de Botuverá

É uma região rica em minérios, de onde provém sua principal economia, e muita área verde, pois 70% de seu território é formado por vegetação. É nesse contexto que pode ser encontrada a gruta mais ornamentada do Sul do Brasil!

Grutas de Botuverá

Parque Municipal das Grutas de Botuverá

O parque está situado a 15 km do centro da cidade e bem simples de localizar. É basicamente só seguir reto. A rua em certo momento fica de chão, mas tranquila de transitar.

Psssiiu › R$100 em Créditos no Airbnb para você viajar!

A caminho da gruta

A caminho da gruta

Assim que passar uma pedra grande na beira da estrada, fique de olho na placa indicando a entrada — à esquerda — para chegar ao destino.

Grutas de Botuverá

O Parque Municipal das Grutas de Botuverá é mantido e organizado pela prefeitura. Um espaço com muita vegetação nativa e som de água correndo por ter um riacho pertinho, uma delícia.

Lá tem um restaurante, algumas churrasqueiras, uma trilha pela Floresta Atlântica e um pequeno Museu do Imigrante, além claro das Grutas, atração principal do passeio!

Entrada do Parque Municipal Grutas de Botuverá

Entrada do Parque Municipal Grutas de Botuverá

Continue lendo para conferir como funciona todo o complexo e a visitação de gruta.  😉

Grutas de Botuverá

A gruta está encravada em uma montanha. Ela tem 1.200 metros de comprimento, até 100 metros de profundidade, temperatura de constante de 20°C e umidade em 80%, pois não há circulação de ar lá dentro.

Com apenas uma pequena entrada e saída, não há qualquer luz solar, então toda a iluminação é artificial. Por esse motivo, não há vegetação em seu interior. Mas lá vivem 7 espécies de morcegos e 35 espécies de outros animais invertebrados já foram catalogados.

Aliás, são os morcegos os bichinhos fundamentais para manter vivo o ecossistema dentro da gruta. Só que vê-los durante sua visita vai ser difícil, já que eles preferem as áreas afastadas por medo da presença humana.

Ao todo as Grutas de Botuverá possuem 9 salões, porém apenas 3 estão abertos para visitação. Então a extensão total que o visitante percorre em seu interior é de 220 metros através de 782 degraus de ida e volta.

História de sua formação e descoberta

Há milhares de anos, tudo era apenas um grande bloco de mármore. Foi com a ação da chuva, do tempo e de um antigo córrego que passava por ali que a gruta se transformou, abriu túneis e tomou sua atual forma.

A água da chuva se infiltra pela superfície da montanha e escorre entre as rachaduras da pedra formando as aberturas e escavações. Junto com a água que desce pela rocha, vem o calcário. Assim, se formam no teto as estalactites e em baixo as estalagmites, além dos espeleotemas (esculturas pela gruta). Quando há junção das duas, as colunas são criadas.

Detalhe que a estalagmite cresce apenas 1 cm a cada 100 anos!  😮

A cor predominante lá dentro é o marrom, apesar de o calcário ser uma pedra clara. Isso é devido ao barro, que desce junto com a chuva e escurece as formações.

Já como se deu a sua descoberta, existem algumas histórias. Porém, segundo a própria prefeitura, não se sabe ao certo qual é a que procede!

Grutas de Botuverá

Trilha pelo Parque das Grutas de Botuverá

Uma delas é que o espaço foi descoberto ao acaso por um caçador em 1940. Segundo contam, os cachorros que auxiliavam o caçador desapareciam por várias horas ou não voltavam mais. Então, encucado, o caçador começou a percorrer a área e descobriu a cavidade natural.

A outra história é de que, também na década de 40, um minerador comentava que as pedras de uma região eram ocas. Por isso, quatro crianças curiosas saíram para a explorar a região e, com lamparinas e cordas, acharam os corredores da famosa gruta.

Mas uma coisa é certa, as Grutas de Botuverá nunca foram ocupadas por humanos, o que as tornam tão preservadas até hoje. Foram os moradores da região com tochas e lanternas que desbravaram e conheceram todas as suas formações.

Antes de entrar

Assim que chegar ao parque, já dirija-se a bilheteria! Como só podem entrar 13 grupos de 15 pessoas por dia, há um limite diário de venda de ingresso. Esse medida existe para preservar e conservar a gruta.

Então o ideal, com certeza, é chegar antes das 10 horas. Principalmente aos domingos e feriados.

Bilheteria, o acesso à gruta está logo atrás

Bilheteria, o acesso à gruta está logo atrás

Na primeira parte da visita, é passado um vídeo curtinho sobre como é o interior da cavidade e suas principais informações. Durante todo o trajeto, é muito importante ter em mente que a conservação do espaço é fundamental!

Afinal são anos e anos para a natureza fazer seu trabalho e, infelizmente, em minutos o ser humano pode depredá-lo. 😥 Por essa razão, trate com todo o respeito esse lugar que é mágico visitar! (Assim, claro, como todos os ambientes devem ser tratados!).

Sem capacete não entra!

Sem capacete não entra!

Algumas recomendações importantes:

  • É necessário usar o capacete disponibilizado. Minha cabeça agradeceu umas 3 vezes durante a visita hehehe.
  • Só pode entrar na gruta com sapato fechado e de sola antiderrapante.
  • A duração do passeio é de 45 minutos e passa muito rápido!
  • Crianças menores de 4 anos não podem entrar.
  • Não pode levar nada, nada mesmo (carteira, chave, óculos…). Há um armário para guardar os objetos pessoais.
  • Mantenha as mãos livres e ande com atenção.
  • Não toque ou leve nenhuma formação da gruta. A oleosidade da nossa mão tira a umidade da pedra…
  • A visitação sempre será feita com o guia.
  • Apenas 3 dos 9 salões estão abertos ao público devido ao acesso. Os outros salões não tem como criar uma infraestrutra suficiente para todos os tipos de visitantes.
  • Por fim, infelizmente, não pode filmar e nem fotografar. Isso é para evitar acidentes e também porque, antigamente, atrasava muito o passeio, diminuindo a quantidade de pessoas que faziam a visita diariamente.  🙁

E claro a recomendação mais importante, vá com disposição, hehe. Tenho certeza que você vai amar o passeio. Todos do nosso grupo ficaram sem fôlego diante da grandiosidade que é conhecer esse espaço tão singular.

Conhecendo por dentro das Grutas de Botuverá

Primeiro todos sobem cerca de 100 degraus até uma entrada bem pequena, construída em 1990.

Escadas de acesso à gruta

Escadas de acesso à gruta

A passagem natural mesmo fica a 10 metros abaixo. Porém para melhorar a visitação foi construída uma nova entrada. Dentro das grutas também há instalação de iluminação artificial.

Entrada da Gruta de Botuverá

Entrada da Gruta de Botuverá

Então seguimos por um corredor estreito e mais baixo. Aí, depois de alguns passos: UAAAL, chegamos ao primeiro e mais bonito salão da gruta!

É o Salão do Órgão, com 60 metros de comprimento e 25 metros de altura. Super impressionante! Leva esse nome, porque tem uma formação rochosa que, ao passar um pedaço de madeira, escuta-se o som igual ao um som de órgão.

Nesse momento, após algumas explicações, o nosso guia apagou todos as luzes e veio uma completa escuridão. Por alguns minutos, todos em silencio, sentimos e imaginamos como é estar dentro da terra, algo inexplicável, foi demais. Depois, seguimos caminhando.

Logo chegamos no Salão da Geleira. É chamado assim, já que na parede há uma formação rochosa que lembra uma cascata congelada. Aqui vimos vários tipos de rochas e pigmentações — calcário, ferro, cobre, manganês, urânio.

Andamos mais um pouquinho e adentramos no último e menor salão, o Salão da Catedral. O seu teto recorda a de uma catedral antiga, alta e abaulada. Neste espaço tem a formação de uma estalagmite que lembra uma mulher segurando uma criança e outra de uma tartaruga.

Também há uma parede com a maior quantidade de estalactites reunidas. Além da maior estalactite da gruta, com 6 metros de comprimento!

Assim termina os 45 minutos e já é hora de retornar. Respeito pela grandeza da natureza é tudo que sentimos quando voltamos ao mundo real. Simplesmente, lindo demais!

Início da jornada =)

Início da jornada =)

Como não pode fotografar, dê uma olhada aqui para ter noção como é nas Grutas de Botuverá.

Trilha Ecológica

Um espaço lindo para explorar,  logo depois da ponte pênsil, que também está dentro do Parque Municipal Grutas de Botuverá. Essa é a trilha pela natureza, com extensão de uns 400 metros. Bem fácil de fazer e imperdível de conhecer.

Grutas de Botuverá Grutas de Botuverá

Com muitooo verde e ao lado um riacho de águas extremamente limpas e frescas, seguimos pela pequena trilha. Sem contar que dá para tomar banho ali nos dias mais quentes.

Grutas de Botuverá Grutas de Botuverá Grutas de Botuverá

Depois de conhecer algo tão maravilhoso como as Grutas de Botuverá, percorrer esse caminho casou perfeitamente com a visita do dia.

Grutas de Botuverá

Museu da Imigração Italiana

Outro ponto que o parque oferece, é um pequeno museu sobre a imigração italiana no município. Como falei no início do post, Botuverá é uma cidade que foi colonizada por italianos vindos do Norte da Itália.

Até hoje a cultura é fortemente transmitida entre as gerações, que inclusive preserva os dialetos da região de seus antepassados. Então para relembrar os primórdios e a vida dos colonizadores, o museu foi montado e demonstra como era o dia a dia desse povo anos atrás.

Ali abaixo está o Museu da Imigração Italiana

Ali abaixo está o Museu da Imigração Italiana

Aqui o visitante encontra algumas ferramentas, utensílios de lavoura e da principal fonte de renda de Botuverá, da extração mineral. Para quem tem interesse no assunto, não deixe de dar uma passadinha no início do parque e apreciar o lugar.

Grutas de Botuverá

Complexo do Parque

O Parque Municipal das Grutas de Botuverá conta com a visitação à gruta, trilha pela natureza e o espaço do Museu da Imigração. Além disso, também oferece um restaurante, área com churrasqueira e estacionamento amplo e de graça.

Bilheteria, sala de vídeo e sanitários

Bilheteria, sala de vídeo e sanitários

O lugar é bem limpo e conservado. Para quem quiser usar a churrasqueira, o interessante é chegar cedo, já que não tem reserva. O restaurante oferece lanches e porções, além de poder encomendar um churrasco aos domingos.

Estacionamento

Estacionamento

Grutas de Botuverá

Restaurante

Grutas de Botuverá

Ponte pênsil para chegar na bilheteria

Ah, não esqueça seu repelente nos dias de calor e também uma roupa para aproveitar o riacho e a caminhada pela trilha ecológica!

Grutas de Botuverá

Endereço
Rua João Morelli, 66, Ourinho, Botuverá – SC, 88370-000. Mapa.

 

Horário de Funcionamento

Terça-feira a Domingo, não funciona às segundas-feiras.
Primavera e verão: 8hrs às 17hrs.
Outono e inverno: 8hrs às 16hrs.

 

Valores dos ingressos

Adulto: R$ 14,00
Estudantes: R$ 7,00
Crianças entre 4 e 12 anos: R$ 7,00
Acima de 60 anos: R$ 7,00
* Os pagamentos devem ser feitos em dinheiro.

Para mais informações aqui.

 

Infelizmente não podemos trazer ao post a foto da atração principal. Porém espero ter passado como amamos conhecer esse lugar. Realmente uma nova experiência e a certeza que o nosso querido estado de Santa Catarina tem muitas surpresas a serem exploradas. Sem dúvida, não deixe de conhecer as Grutas de Botuverá!

Se ficou alguma dúvida ou você já também prestigiou a gruta, deixe um comentário!  😛

Dúvidas?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *