Erguido por franceses na esquina do Atlântico, o Farol de Santa Marta é rodeado de paisagens naturais e uma das mais belíssimas atrações do Sul Catarinense!

Relacionado

A nossa visita ao Farol de Santa Marta, apesar de rápida, foi com certeza uma experiência única!

Toda a paisagem ao redor do farol, a vista incrível para o Oceano Atlântico, conhecer pelo caminho alguns sambaquis, lindas praias e vista para o lago, foi um conjunto belíssimo que apreciamos no Sul Catarinense. Realmente a topografia por ali é bem singular e cheia de atrações.

O Farol de Santa Marta é o principal ponto turístico de Laguna, uma cidade cheia de histórias para contar. A beleza do lugar e a construção do farol, fazem um cenário imperdível de se conhecer!

O Farol de Santa Marta

Erguido no alto de um morro, a localização geográfica do farol é no Cabo de Santa Marta.

A região sempre foi muito importante para a navegação. Principalmente na época da descoberta do novo mundo, realizadas pelos expedicionários europeus.

Esse ponto do litoral era o último com porto para abastecimento das embarcações. Elas depois seguiriam pelo mar aberto até o Rio Grande do Sul ou outras regiões da América do Sul.

Aqui foi um dos primeiros locais mapeado pelos portugueses, conforme uma carta náutica de 1502, conhecida como Planisfério de Cantino. No documento já está desenhado o Cabo de Santa Marta!

Farol de Santa Marta
Carta náutica Planisfério de Cantino

Construção e história do Farol de Santa Marta

Inaugurado em 1891, o Farol de Santa Marta foi projetado e construído pela famosa empresa francesa Barbier et Cie. Sua composição é de pedra, conchas, areia, barro e óleo de baleia.

Inclusive, o farol é a maior construção existente no mundo feita com óleo de baleia. Material muito usado antigamente na região, já que a caça às baleias francas era frequente e liberada.

Farol de Santa Marta

O Farol de Santa Marta foi planejado com o propósito de guiar as embarcações para longe da Pedra do Campo Bom, também conhecido como Parcel do Campo Bom ou Laje da Jagua.

Essa área é uma formação rochosa, como uma montanha submersa. Fica a 24 km do farol e por volta de 5 km da costa, na cidade de Jaguaruna. A profundidade pode chegar a apenas meio metro dependendo da maré e da época do ano, o que gera ondas enormes no meio do mar.

Tanto que a Pedra do Campo Bom é chamada de cemitério de navios, devidos as várias embarcações que já naufragaram por ali. Assim, escutando o clamor público da falta de segurança da navegação dessa extensão do litoral, o Farol de Santa Marta foi construído.

Aliás, um trágico e famoso acontecimento na época da Revolução Farroupilha se deu nessas águas. Quando o navio Rio Pardo, em 1839, capitaneado por Giuseppe Garibaldi, ia a Laguna para a tomada da cidade, mas naufragou e vários homens morreram afogados.

Dados interessantes sobre o Farol

O Farol de Santa Marta é considerado o maior das Américas em alcance de foco de luz. Já no mundo, está em terceiro lugar.

Sua localização é estratégica, num local conhecido como a “esquina do Atlântico Sul”. A luz pode ser vista a 34 km de distância a olho nu e até 90 km por meio de equipamentos de navegação. Isso porque, o foco do farol coincide com a curvatura da terra!

A estrutura da torre do Farol de Santa Marta é quadrada, com 29 metros de altura e as paredes possuem dois metros de extensão. Sua base está a 74 metros acima do nível do mar.

No topo da torre, a lente utilizada (hiper-radiante de Fresnel de 1 330mm) é um modelo único no Brasil e umas das poucas ainda em funcionamento no mundo. Por 50 anos os fachos de luzes giravam manualmente à base de querosene. Porém, no ano de 1941, todo o sistema foi eletrificado.

Farol de Santa Marta

Administrado pela Marinha do Brasil, o farol é um equipamento de segurança na´utica, mas que também auxilia no espaço aéreo e possui uma estação meteorológica do INMET. Sinais luminosos brancos e vermelhos são emitidos a cada 15 segundos.

Informações para visitação

Chegando na região do Cabo de Santa Marta já logo a imagem do farol se destaca na paisagem. Toda a área forma um conjunto deslumbrante: a construção do farol, a vista para as praias, o oceano e a pequena comunidade formada por pescadores e comerciantes.

Próximo ao centrinho, o acesso ao farol deve ser feito a pé e somente de dia. Como o terreno pertence à Marinha, a entrada de veículos e, durante a noite, o tráfego de pessoas é vedado.

 

Farol de Santa Marta
Entrada do Farol de Santa Marta

Para conhecer a área externa do Farol de Santa Marta não é necessário pagar nada. Tudo o que precisa é ter disposição e uma câmera para fotografar a vista, que é deslumbrante.

Farol de Santa Marta
Vista do morro do Farol de Santa Marta
Farol de Santa Marta
Caminho à pé para o farol
Farol de Santa Marta
Vista do morro do Farol de Santa Marta

Lembrando que a visão do pôr-do-sol nessa região é especialmente linda!

Já para conhecer a parte interna, é necessário realizar antes um agendamento junto à Capitania dos Portos, que organiza pequenos grupos.

Farol de Santa Marta

Farol de Santa Marta
Vista do morro do Farol de Santa Marta para a Prainha. Ao fundo, os Sambaquis e a Praia Santa Marta Grande

Endereço

Trilha Farol de Santa Marta, s/n – Farol de Santa Marta, Laguna – SC, 88790-000. Mapa

Acesso

Há duas maneiras de se chegar até o Farol de Santa Marta:

Vindo do sul: Quando visitamos o farol, estavámos nesta direção. Fomos por Jaguaruna e só foi seguir pela Rodovia SC-100. Achamos o caminho muito legal, principalmente quando chegamos em Garopaba do Sul. Boa parte da estrada era costeada pela Lagoa de Jaguaruna.

Farol de Santa Marta
Lagoa de Jaguaruna em Garopaba do Sul
Farol de Santa Marta
Lagoa de Jaguaruna em Garopaba do Sul

Quando passamos a Barra do Camacho, ficamos deslumbrados com a paisagem! Muito diferente, deu para se sentir no Canadá, ou pelo menos nas fotos que postam no Instagram daquela região hehe.

Farol de Santa Marta
Barra do Camacho
Farol de Santa Marta
Barra do Camacho
Farol de Santa Marta
Barra do Camacho

Depois, na rotatória, é só virar à direita e seguir pela estrada de chão até o farol. No trajeto dá para ver muitas dunas de areia, sambaquis e a Praia do Cardoso. Ao todo, a partir de Jaguaruna, a rota tem 27 km, mapa.

Farol de Santa Marta
Rua de acesso ao Farol de Santa Marta

Vindo do norte: Para quem entra por Laguna, deve seguir por dentro da cidade e pegar o Ferry Boat. A travessia leva em torno de 10 minutos e depois segue por parte estrada pavimentada e parte de chão. Durante o caminho, dá para ver o acesso a outras praias, como a Praia do Ypuã, Praia da Galheta e Praia Grande. Na rotatória, siga à esquerda, que então inicia a mesma estrada do rota acima. Vindo do centro de Laguna, a rota tem em torno de 20 km, mapa.

Atrações ao redor do Farol de Santa Marta

Somente conhecer o Farol de Santa Marta, não vai levar muito tempo. É claro que a construção é muito interessante, a vista é lindíssima e todo o lugar tem uma magia diferente.

Porém, o legal (e imperdível) é também conhecer as duas praias que tem pertinho, as dunas, a pequena comunidade ao entorno do Cabo de Santa Marta e até o sítio arqueológico ali perto.

Sambaquis

Laguna é a terceira cidade mais antiga de Santa Catarina, mas a sua história na verdade começa com comunidades pré-históricas, que habitavam a região a cerca de cinco mil anos atrás. O povo que morava ali eram hábeis pescadores e mergulhadores.

Um costume dos antigos habitantes das regiões litorâneas, era formarem Sambaquis, que em tupi guarani, quer dizer amontoados de conchas. Cada comunidade formava os Sambaquis para um propósito, como demarcação de território, local para rituais e também moradia.

São camadas formadas principalmente de conchas e areia, mas que também guardam outros objetos, como utensílios, enfeiteis, ferramentas, ossos de animais e restos alimentares. Além de ossos humanos, o que indica que a formação também funcionava como cemitério.

Em Santa Catarina, mas especificamente no sul, estão localizadas as maiores formações de Sambaquis. Inclusive, o Sambaqui Garopaba do Sul é o maior depósito de conchas do mundo em extensão, com 30 metros de altura e 200 de diâmetro e mais de 3,7 mil anos.

Porém, essas construções também podem ser encontradas em outras regiões da América e na Europa e Africa, só que em menores proporções.

Farol de Santa Marta
Sambaquis pelo caminho

O interessante é que através dos Sambaquis, os pesquisadores conseguem determinar mais sobre a vida e cultura dos primeiros habitantes do Brasil. Essas formações são uma importante fonte para determinar o conhecimento, hábitos alimentares e culturais, flora e fauna da época.

Segundo o IPHAN, em Laguna existem 43 sítios arqueológicos, de artefatos do povo sambaqui e dos guaranis. E um desses está na estrada que leva ao Farol de Santa Marta. Com certeza, imperdível!

Prainha

Pertinho do farol, sentido ao centro de Laguna, podemos conhecer a chamada Prainha e a comunidade formada por pescadores e comerciantes.

No início, a região do Cabo de Santa Marta, era habitada apenas pelos faroleiros. Então lá por 1910, os primeiros habitantes, atraídos pela pesca da tainha, começaram a povoar a região.

Na rua principal, encontramos lojas de artesanato e roupas, farmácias, além de alguns restaurantes. Durante a temporada do verão, tudo por ali fica bem movimentado. Tem opções de casas locais para alugar e também há algumas pousadas.

Farol de Santa Marta
Prainha

A Prainha é pequena, com apenas 600 metros de extensão e sem muita faixa de areia. O mar é bem frequentado por surfistas da região.

Farol de Santa Marta
Prainha

Na outra ponta da praia, contrária ao farol, está o Morro do Céu. De um lado é possível ver toda a prainha e o Farol de Santa Marta ao fundo, já do outro a Praia Santa Marta Grande na parte sul, que é chamada de Mocó e atrás alguns Sambaquis. É deslumbrante a paisagem!

Farol de Santa Marta
Prainha e ao fundo o Morro do Céu

Praia do Cardoso

A Praia do Cardoso, fica do lado oposto ao da Prainha. O seu acesso é pela própria rua que leva ao farol. Durante o caminho, tem algumas entradas para a praia.

Na ponta norte, o mar é mais tranquilo e calmo. Já no lado sul é aonde os “mares do sul”, com ondulações diferentes e ventos variados, fazem do mar da Praia do Cardoso um dos destinos mais procurados por surfistas da região. Já a faixa de areia é bem extensa.

Farol de Santa Marta
Praia do Cardoso

Só que a Praia do Cardoso, apesar de bem movimentada, não oferece estrutura ao turista. Por isso leve seu lanche e água, cadeira e guarda-sol. Ah, em certos pontos é possível transitar com o carro na areia, mas tome muito cuidado com quem está circulando a pé.

Farol de Santa Marta
Praia do Cardoso

 

Depois de conhecer o Farol de Santa Marta só tenho certeza de uma coisa: sem dúvidas iremos voltar e quem sabe curtir um final de semana na região hehe. Ficamos deslumbrados com todas as belezas naturais e com muita vontade de explorar mais ainda cada uma delas.

E você já conhece o Cabo e o Farol de Santa Marta? Gostou da dica, quer dar alguma sugestão ou ficou com alguma dúvida? Então não deixe de comentar e compartilhar!

Summary
Uma explosão de atrações naturais que você não pode deixar de conhecer no Farol de Santa Marta, o maior das Américas!
Article Name
Uma explosão de atrações naturais que você não pode deixar de conhecer no Farol de Santa Marta, o maior das Américas!
Description
Erguido por franceses na esquina do Atlântico, o Farol de Santa Marta é rodeado de paisagens naturais e uma das mais belíssimas atrações do Sul Catarinense!
Author
Publisher Name
Cadê minha mala?
Publisher Logo