Apesar das centenas de obras do Louvre, algumas são especiais. Elas se destacam pela sua história, técnica e beleza: são as Masterpieces do museu do Louvre.

Relacionado

Diversas obras no museu do Louvre são essenciais para a história e para a história da arte. São verdadeiras obras-primas, com diferentes tipos de técnicas artísticas utilizadas através dos tempos. Muitas delas estão em nossos livros de escola, e ter a oportunidade de vê-las ao vivo, é extremamente enriquecedor!

Além das masterpieces aqui listadas, há várias outras obras extremamente famosas que você encontra no Museu do Louvre. Aqui vão alguns exemplos: A virgem e o menino com Santa Ana e São João Batista, pinturas de Leonardo da Vinci; A balsa da Medusa, de Théodore Géricault; a escultura de Psique Revivida Pelo Beijo de Eros, feita por Antônio Canova; A Grande Odalisca, de Jean-Auguste-Dominique Ingres.

Por essa razão que o Louvre é um dos principais museus do mundo! Há uma infinidade de pinturas, esculturas, peças decorativas e utensílios de antigas civilizações para conhecer e apreciar. Com certeza é um lugar memorável e imperdível.

Masterpieces do museu do Louvre

1 — Vênus de Milo

Aphrodite, known as the "Venus de Milo" 100 BC © 2006 Musee du Louvre/Anne Chauvet
Aphrodite, known as the “Venus de Milo” 100 BC © 2006 Musee du Louvre/Anne Chauvet

Foi descoberta em 1820 na ilha de Melos e, no ano seguinte, ingressou ao museu. Feita em mármore, sua identidade é um mistério. Como lhe faltam os braços e adornos, dependendo do que segurasse ou vestisse poderia definir qual deusa era: Artemis, uma Danaid ou Amphitrite.

Localize esta Masterpieces do museu do Louvre: Sala 7, quarto do Parthenon, ala Sully, piso térreo.

2 — Código de Hammurabi

Code Hammurabi King of Babylon © 2009 RMN/Frank Raux
Code Hammurabi King of Babylon © 2009 RMN/Frank Raux

O Código de Hammurabi é o emblema da civilização mesopotâmica. O monumento de basalto foi erigido pelo rei Hammurabi da Babilônia (1792-1750 a.C.) provavelmente em Sippar, cidade do deus do sol.  No Código Hammurabi estão redigidas as leis mais importantes do Antigo Oriente. Notável por seu conteúdo legal, este trabalho é também uma fonte excepcional de informações sobre a sociedade, religião, economia e história deste período.

Localize esta Masterpieces do museu do Louvre: Sala 3, Mesopotâmia, 2º e 1º milênios a.C., ala Richelieu, piso térreo.

3 — A Liberdade guiando o povo

July 28 Liberty Leading the People © 2009 Musée du Louvre/Erich Lessing
July 28 Liberty Leading the People © 2009 Musée du Louvre/Erich Lessing

A Liberdade, pintado por Delacroix, foi inspirado no levante que ocorreu em Paris no ano de 1830. Os “três dias gloriosos”, como ficou conhecido o movimento, foi iniciado pelos republicanos liberais por violação da Constituição pelo governo da Segunda Restauração.

Localize esta Masterpieces do museu do Louvre: Sala 77, Mollien, ala Denon, primeiro piso.

4 — Monalisa

Monalisa ©RMN - Grand Palais/Michel Urtado
Monalisa ©RMN – Grand Palais/Michel Urtado

Monalisa, pintado por Leonardo da Vinci. Com certeza este é o quadro mais famoso de todo o museu (e de todo o mundo!). Acredito que os visitantes, ao entrarem no Louvre, a primeira coisa que fazem, é ir até a Ala Denon conhecer a pintura. Com a gente não foi diferente hehe!

Ele é pequeno (0,77cm x 0,53cm), pintado em 1503, a óleo. A obra foi encomendada por um comerciante de seda florentino chamado Francesco del Giocondo, para retratar sua esposa Lisa Gherardini. Contudo, o quadro nunca foi entregue e, após o falecimento de Da Vinci, ingressou na coleção do rei François I.

Apesar de haver registros sobre ser Lisa Gherardini a mulher da obra, há várias teorias sobre a verdadeira identidade do quadro e seu processo de criação

Localize esta Masterpieces do museu do Louvre: Sala 6, quarto da Monalisa, ala Denon, primeiro piso.

Curiosidade:

 

O quadro de Leonardo Da Vinci ficou extremamente famoso, em 1911, quando foi furtado por um funcionário italiano do museu. Apesar de ele já ser reconhecido no mundo da arte, com este evento ele passou a ter status de “celebridade”. Na época os jornais fizeram uma cobertura midiática imensa do acontecimento. Segundo o jornalista Jerome Coignard, uma vez que os jornais franceses descreveram as circunstâncias do furto, não tinham mais o que dizer. Por isso, começaram a inventar histórias sobre o quadro, como a de que Leonardo Da Vinci teria se apaixonado pela modelo. Na época, multidões iam até o Louvre somente para ver o espaço vazio na parede e tudo foi estampado com o rosto de Monalisa, revistas, louças, objetos… Felizmente, dois anos após, a Monalisa foi recuperada e novamente exposta no museu.

5 — A consagração do imperador Napoleão e da Imperatriz Josefina em 2 de dezembro de 1802

The Consecration of the Emperror Napoleon and the Cororonation of Empress Josephine on December 2, 1804 © Musée du Louvre, dist. RMN/Angèle Dequier
The Consecration of the Emperror Napoleon and the Cororonation of Empress Josephine on December 2, 1804 © Musée du Louvre, dist. RMN/Angèle Dequier

Esse quadro super detalhado (e gigante! 6,21m x 9,79m) foi pintado por Jacques Louis David encomendado por Napoleão Bonaparte. A obra retrata o esplendor da Coroação do imperador, transmitindo sua mensagem política e simbólica.

O pintor, que participou desse momento, procurou fazê-lo o mais próximo da realidade. Porém, houveram algumas mudanças interessantes feitas a pedido do próprio imperador.

O papa, que não aprovava a autocoroação de Bonaparte, foi pintado abençoando a cerimônia. Já a mãe de Napoleão, que não concordava com a união de Josefina e seu filho e por isso não compareceu no evento, foi retratada ao fundo do quadro em destaque pela iluminação.

Localize esta Masterpieces do museu do Louvre: Sala 75, Daru, ala Denon, primeiro piso.

6 — Bodas de Caná

The Wedding Feast at Cana 1563 © 2010 Musee du Louvre/Angèle Dequier
The Wedding Feast at Cana 1563 © 2010 Musee du Louvre/Angèle Dequier

Maior quadro de todo o museu (6,77m x 9,94m) está exposto na sala da Monalisa. Os beneditinos do mosteiro de San Giorgio Maggiore em Veneza encomendaram esta imensa pintura ao pintor Paolo Caliari Veronese, em 1562. Ela serviria para decorar o refeitório

Tudo no quadro é extremamente detalhado. Na mesa, cada convidado tem o seu jogo completo de louças (com prato, talheres, guardanapo). Algumas pessoas estão vestindo trajes tradicionais antigos, enquanto outras – principalmente as mulheres — usam suntuosos adornos e penteados.

Apesar de suas dimensões excepcionais, no ano de 1797, a pintura foi confiscada e enviada para Paris pelas tropas de Napoleão.

Localize esta Masterpieces do museu do Louvre: Sala 6, quarto da Monalisa, ala Denon, primeiro piso.

7 — Vitória de Samotrácia

The Winged Victory of Samothrace C. 190 BC © 2006 Musée du Louvre/Daniel Lebée at Carine Deambrosis
The Winged Victory of Samothrace C. 190 BC © 2006 Musée du Louvre/Daniel Lebée at Carine Deambrosis

A Vitória de Samotrácia, foi descoberta por Champoiseau em 1863, na ilha grega de Samotrácia. A escultura provavelmente foi criada para comemoração de uma vitória naval no início do segundo século a.C. A postura teatral, o movimento vigoroso e os drapeados ondulantes a fazem uma grande escultura helenística, combinada com referências ao período clássico.

No ano de 2014, a peça foi totalmente restaurada (no orçamento de 4 milhões de euros!), retornando a sua cor mais original. Antes, a pedra, era bem mais amarronzada.

Localize esta Masterpieces do museu do Louvre: No alto da escadaria de Daru, ala Denon, piso térreo.

8 — O Escriba Sentado

The Seated Scribe © 2007 Musée du Louvre/C. Décamps
The Seated Scribe © 2007 Musée du Louvre/C. Décamps

O escriba sentado é uma obra enigmática do Louvre. Nada se sabe sobre ela: quem era a pessoa retratada, seu nome, seu título, nem mesmo o período exato durante o qual ele viveu. No entanto, esta estátua nunca deixa de impressionar os visitantes do Louvre.

Algumas caraterísticas estilísticas, como os lábios finos, a forma do dorso e o peito largo, apoiam teorias de que o escriba foi criado entre a 4ª e 5ª Dinastias (2600 – 2350 a.C.). O aspecto mais marcante desta escultura é a face, em particular, os olhos elaboradamente embutidos.

Localize esta Masterpieces do museu do Louvre: Vitrine 10, sala 22, The Old Kingdom, 2700–2200 a.C., ala Sully, primeiro andar.

9 — A Coroa do Rei Luís XV

Crown of Louis XV © 2010 Musée du Louvre/Martine Beck-Coppola
Crown of Louis XV © 2010 Musée du Louvre/Martine Beck-Coppola

A coroa de Luís XV foi desenhada pelo joalheiro Claude Rondé e executada nas galerias do Louvre por Augustin Duflos, joalheiro do rei. Sua finalidade era para o momento da coroação de Luís XV.

Em 1729, as pérolas e pedras preciosas foram substituídas por imitações de pasta ao comando do próprio rei. No total, a coroa continha 282 diamantes (161 grandes e 121 pequenas), 64 pedras coloridas (incluindo 16 rubis, 16 safiras e 16 esmeraldas) e 237 pérolas.

Com base em duas descrições feitas da peça na época, é possível concluir que sua forma atual não é fiel à composição original. Isso pode ter sido resultado da restauração empreendida pelo joalheiro Maillard em 1780.

Localize esta Masterpieces do museu do Louvre: Exposta na caixa dos diamantes, sala 66, galeria de Apollon, primeiro andar.

10 — A Rendeira

The Lacemaker @ Essential Vermeer 2.0/2001-2016 jonathan janson
The Lacemaker @ Essential Vermeer 2.0/2001-2016 jonathan janson

The Lacemaker, de Johannes Vermeer, faz parte do período barroco holandês. Essa é a menor pintura de Vermeer (0,24cm x 0,21cm) e é umas das obras mais famosas do artista. Ela foi considerada, por Pierre-Auguste Renoir, como a pintura mais bela do mundo.

O quadro impressionou muitos artistas por sua intimidade. A moça é a figura central e está totalmente absorvida em sua atividade manual. Os detalhes são muitos: a fina linha branca entre os dedos da rendeira, as formas da tapeçaria, a almofada de costura, a pequena mesa e seu trabalho escondido na mão direita. Além dos diversos pontos de luz desfocados. 

Localize esta Masterpieces do museu do Louvre: Sala 38, Holanda — segunda metade do sec. 17, ala Richelieu, segundo piso.

11 — O Rapto das Sabinas e A intervenção das Sabinas

The Rape of the Sabine Women © Musée du Louvre, dist. RMN/Angèle Dequier
The Rape of the Sabine Women © Musée du Louvre, dist. RMN/Angèle Dequier
The Intervention of the Sabine Women © 2010 Musée du Louvre/Angèle Dequier
The Intervention of the Sabine Women © 2010 Musée du Louvre/Angèle Dequier

Os dois quadros acima são pinturas feitas por diferentes artistas, mas que contam a mesma história: a lenda das mulheres de Sabina da Roma antiga. Esse episódio ficou muito famoso entre os artistas do Renascimento e pós-renascentistas, pois misturava a figura do homem e da mulher, em poses extremas e seminuas. A história simbolizava a importância do matrimônio para a continuidade das famílias e culturas.

O Rapto das Sabinas, foi produzido em duas versões pelo pintor Nicolas Poussin. A primeira, entre 1633/1634, a pedido de Maréchal de Créqui e está exposta no Metropolitan Museum of Art, em Nova York. A segunda versão, encomendada pelo cardeal Luigi Omodei, nos anos de 1637/1638. Após a sua morte, foi vendida ao rei Luís XIV, integrando hoje o museu do Louvre.

Localize esta Masterpieces do museu do Louvre: Sala 14, Nicolas Poussin, ala Richelieu, segundo piso.

Já a obra A intervenção das Sabinas, é de Jacques-Louis David. Ele iniciou a tela em 1794 e finalizou em 1799. O artista afirmou durante a criação que desejava pintar o grego puro, uma transição do estilo romano que já havia retratado (como no quadro o Juramento dos Horácios).

Localize esta Masterpieces do museu do Louvre: Sala 75, Daru, ala Denon, primeiro piso.

12 — Touros alados de cabeça humana

Winged human-headed bull © 2011 Musée du Louvre/Thierry Ollivier
Winged human-headed bull © 2011 Musée du Louvre/Thierry Ollivier

Os touros alados de cabeça humana, também chamados de Lamassu ou Shedu, eram espíritos protetores que guardavam as entradas da cidade ou portões de palácios. Essas esculturas, com 4 metros de altura, feitas em um único bloco, são tipicamente sírias e foram escavadas por Paul Botta, em 1843. São do período Neo-assírio, reinado de Sargão II (721-705 a.C.).

Localize esta Masterpieces do museu do Louvre: Sala 4, Mesopotamia, Assyria. Khorsabad, ala Richelieu, piso térreo.

13 — O Escravo Rebelde e o Escravo Morrendo

The Rebellious Slave © 2010 Musée du Louvre/Raphaël Chipault
The Rebellious Slave © 2010 Musée du Louvre/Raphaël Chipault
The Dying Slave © thisblueboy
The Dying Slave © thisblueboy

Esculturas feitas pela grande artista Michelangelo, em 1516. Elas estão expostas lado a lado no Museu do Louvre.

Os dois escravos encadeados expressam emoções completamente diferentes. O escravo rebelde, é uma figura mais grosseira, cujo corpo inteiro parece envolver-se em uma luta violenta. Já o escravo morrendo, é soberanamente jovem e bonito e está, aparentemente, em um sono profundo (talvez eterno).

Inicialmente, eles foram imaginados para o túmulo do Papa Júlio II. Porém, por razões financeiras o projeto foi modificado. Posteriormente, Michelangelo doou os escravos a Roberto Strozzi, que os trouxe a França.

Localize estas Masterpieces do museu do Louvre: Sala 4, Michelangelo gallery, ala Denon, piso térreo.

14 — Estátua de Ramsés II

Colossal statue of Ramesses II © 2006 Musée du Louvre/Christian Décamps
Colossal statue of Ramesses II © 2006 Musée du Louvre/Christian Décamps

Conhecido como Ramsés, o Grande, ele foi o terceiro faraó da XIX dinastia egípcia (Império Novo). Ramsés II reinou entre aproximadamente 1279 a.C. e 1213 a.C. e foi um dos Faraós com o reinado dos mais longos e prestigiados da história egípcia.

Localize estas Masterpieces do museu do Louvre: Sala 12 The temple, ala Sully, piso térreo.

15 — A mulher com o espelho

Woman with a Mirror © 2010 Musée du Louvre/Martine Beck-Coppola
Woman with a Mirror © 2010 Musée du Louvre/Martine Beck-Coppola

Esta obra é do pintor italiano Tiziano Vecellio, também conhecido como Titian, foi produzida em 1515. A pele pálida, os ombros nus e os cabelos soltos, ondulados e loiros, fazem da pintura uma representação idealizada das belezas venezianas do início do século XVI

Titian retratou esta sensual jovem veneziana que sonha em seu banheiro, segurando um pedaço do cabelo em uma mão e um vidro de perfume na outra. Atrás, está um homem barbudo em um gibão vermelho segurando dois espelhos para ela. A pintura é firmemente focada nas duas figuras, que enchem todo o espaço.

Localize estas Masterpieces do museu do Louvre: Sala 7, quarto da Monalisa, ala Denon, primeiro piso.

 

Então, agora que você já conheceu as principais masterpieces do Louvre, é só pegar um mapinha na entrada do museu, achar onde está cada uma e apreciar estas belas obras do mundo artístico. Espero que essa listinha possa ajudar a sua visita!

Se você já teve a oportunidade de conhecer de pertinho alguma delas, ou quer sugerir outras obras, deixe nos comentários!